20 de janeiro de 2017

Escapismo

Em que frequência se batiza
todos aqueles como nós, perdidos?
Entre os coxos e desmembrados
há uma ferida aberta
que se mantém acordada
Disseram ser de uma mulher, talvez velha, não se sabe
eu lhe diria com detalhes se não fosse
meus olhos
outrora
furtados
Pouco sei o local destinatário
mas sequer os cotos correriam 
as ladeiras esmiuçadas
em que essa tal mulher
trafega
transfunde minha ferida
na sua
e de tantas outras mais...
É por seus tubos calcificados 
onde saltam as veias de mais uma enferma
de sangue salino
Quando me dei conta preferi
ser surda
só pra ver ela cantar
de perto, inatingível,

mas juntas, à deriva.