5 de maio de 2016

Hidra

Trilha complementar à poesia



O seu ego é ser mártir de uma dor que não é sua, 
nem dos outros.
Surrupia a voz para fazer dela a tua 
um melindre de cigana.
Surrupia, pedra ônix maldita
suas dignidades são só de superfície
da cabeça de sete cabras.
A cada corte fundo
é arrepio na espinha empunhando garrote
enquanto meu ferrolho lhe queimava a última cabeça,
a ideia de enterrar-te em mim era a única solução
para o veneno esguichado em feridas mal curadas.

Quisera tu ser víbora
Nociva.


Nenhum comentário:

Postar um comentário