16 de março de 2016

Víbora gentil



Nunca vi cobra educada
Seu veneno que dispara
Me acerta e ninguém viu

Será que é mania de coral
Fazer arte, embriagar
De sereia alimentar 
Oh, coitada, você viu? 

Traída, refutada
O drama já cansou
Vem pra perto do leão 
Toda quieta, amansada

Você espera que um dia 
O leão lhe devore
Mal sabe, inocente 
Que a cobra se enrosca
E o pescoço ela tora

Só é bonito o teatro
Que a surucucu fizera
Agrada o povo com seu choro 
De malícia, sua miséria 

Então aqui estou
Porta-voz do Seu Leão 
Eita desgraça é essa cobra
Ranca olho, é gavião 

Que o recado seja dado 
Esse olho tem irmão 
E tá mirado nessa cobra.

Nenhum comentário:

Postar um comentário