8 de dezembro de 2015

2012


Era parada olhando pro teto que elas escorreram
As bochechas reclamariam dos rastros se pudessem
Quando caem
No ecoar do vento menos audível
Nos tímpanos elas lamentavam coisas que nem eu mesma sabia explicar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário