1 de abril de 2015

Intervalo

Foi por descuido.

Setecentos e oitenta e sete dias atrás, eu fui um sinal amarelo.
No último ano do signo de serpente, me coube ser o espacinho entre um samba triste e outro.
Os segundos excitantes de um salto, nunca o impulso.
Lembro também de ser aquele ventinho gostoso de perfume cheiroso que passou.
E quando fui aquele momento que antecede o momento antes do beijo? O da vergonha...
Dez pras nove e meia nas aulas de matemática.
A tarde agradável de quinta na praia, ela, fui eu quem fui.
Um dia inteiro de mensagens.
Ronco da fome na lanchonete pé-sujo da faculdade, muito fui.
Semana passada quis ser - só fui - o suspiro que arranquei da sua garganta.


Vermelho. Disritmia. Terra. Cangote. Agoniazinha. Recreio. Sábado. Bilhetinho. Ronco do sono. Orgasmo.

Não fui.


Mas foi...

Nenhum comentário:

Postar um comentário