12 de abril de 2015


Quem sabe eu que tenha ofendido afrodite
O canto fúnebre sai daqui
Sirena menina, seu silêncio me dói
Me adestra pra morte


Nenhum comentário:

Postar um comentário